mesmo apanhando

o coração bate
no corpo inteiro
o sangue escorre por dentro
e eu
escravo no tronco
quando te vejo
me rendo às correntes
tão condescendente
sem prumo
sem opção