os travesseiros ocupam

seu lugar na cama

lado esquerdo

como um coração
batendo fora de mim

estou amando
uma mulher de ferro
que belo castigo

nunca mais

reclamarei da calma. pelo contrário, desejo encontrá-la a cada manhã, nos seus olhos ainda fechados dentro de algum sonho que me inclua ou não. e quando você entrar no carro com seu batom escuro, quero que cada pedaço do meu rosto fique da cor da sua boca. e que eu fique tão suja que seja impossível sair em público, pois será essa minha justificativa pra te levar pro quarto de hotel mais próximo e te amar, te amar e te amar o quanto não amei nesses quatro últimos dias.

o desespero

é uma sanfona

vai e volta
abre e fecha

sempre ecoando
o som agudo

que vibra
em cada livro

na estante
na cama

em tudo
que lembra
você