Nossos corpos celestes

O efeito estufa chegou em Goiânia.
Na flor da idade o sol nos alcançou.
Estamos derretendo
sobre a grande estrela vermelha
que nos aquece como um jovem
fazendo força no auge da vida.
E enquanto reclamamos e comentamos
sobre o quanto o sol está bem
e mau conosco,
eu apenas me pergunto
o amor tem vida própria?

O amor é um linha reta

e isso não responde nada
mas somos nós
que o transformamos em labirinto,
como um homem que se afasta de Deus
em prol da religião,
como quem espanta os pássaros.
Por falar nisso
estou sendo perseguida por eles
uma vontade danada de ter asas
e agora isso, essa perseguição.
Ao fundo da minha voz,
enquanto escrevo em voz alta
(porque é assim que escrevo)
eles cantam
e me convidam para voar
eu digo que sim
mas há uma urgência tão grande
que me consome
e me prende ao chão
e graças a ela
nunca estarei segura.

Serei engolida pela minha sede.

Tanto faz,
finjo que tenho calma.
E acho que realmente tenho.
Tento olhar conscientemente
para a urgência
e manuseá-la.
Sinto que estou costurando
calmamente
uma peça de crochê.
Estou perdendo a ingenuidade
numa velocidade sobre-humana.
Olho dentro dos meus olhos
num passado próximo
e havia tanto medo.
Agora não.
Ontem eu era
uma versão menor de mim.

A beleza é um estado de espírito.
E a maldade ainda me é inconcebível.
Uma pessoa despida e frágil,
como somos em essência
não pode ser má.
Tentaram me convencer
mas me foge à compreensão.
Ainda acredito muito nos outros
embora me assuste
essa ausência de empatia.

Papai é um homem muito sensível,
percebi isso
quando me falou das fases da lua.
Disse que gosta do fim do mês
quando ela está cheia
e ilumina as águas dos rios.

No fundo, somos todos
sensíveis demais.
E arte nos alcançaria,
não perdoaria ninguém,
se não tentássemos
ser tão fortes
o tempo inteiro.
Quando as pessoas se souberem
e se fizerem humanas
e se reconhecerem,
o mundo finalmente
será um lugar acolhedor.
E isso é tudo que sei
sobre a crise migratória na Europa.

Capricórnio, áries, libra e câncer.
Tenho três dos signos
mais afetados pelo eclipse.
A lua imersa na sombra umbral da Terra.
Acho que por aqui,
alguma coisa eclipsou mais cedo.

Meu coração está coberto
por uma névoa vermelha,
suspeito que seja amor
um amor que sangra sem doer
e escorre sangue
mesmo quando seca
Espero me cobrir inteira
antes que o sol nasça de novo,
e até quando ele vier,
que o calor,
o mesmo calor que seca a boca
e a pele
me faça suar
e voar
como os pássaros
que me perseguem.