meu coração me faz mendigo

me tira da cama no meio da noite
me deita no asfalto gelado
e me cede um papelão como cobertor

de olhos fechados
o barulho dos carros é silencioso
no silêncio retorno ao pó
e me recomponho em palavras

hei de escrever, custe o que me custar
um, dois, três carnavais
domingos de luto
ou até a minha lucidez

minhas pálpebras serão janelas
que fecharei quando quiser
olhar para dentro
de mim