00:34, day one.

há uma cerca de arame farpado
ao redor do meu corpo
e não importa para onde eu me mova
alguma parte de mim
sempre estará sangrando

quero ser uma pessoa boa

quero ser a mulher que vai te marcar pelo resto da vida
você é o café preto que me tira da cama todos os dias

quando pronuncia as primeiras sílabas
e me sinto novamente parte do mundo
eu me arrasto para o chuveiro
e lavo os cabelos mais uma vez
tudo porque você existe
eu faço tanta coisa porque você existe
a consciência da sua existência
é minha dose diária de cafeína
eu acelero o carro para amenizar o atraso
mas não te abandono no caminho
nem quando chego
nem nas primeiras notícias
acho que não sei te abandonar
e você me acompanha
como a garrafa de água
que insisto em levar para onde vou
seus beijos hidratam minha boca
mesmo de longe
e porque você existe os dias passam
os dias voam
mas se há saudade se arrastam
embora sempre cheguem ao fim
então eu volto às origens
deito na cama e te espero estar pronta
você é o chá de camomila
que me adormece todas as noites
a consciência da sua existência
é minha dose diária de tranquilidade
porque você existe
eu sinto o peito afagado
por você
e só por você
meu coração pulsa forte