fragmento

suspeito que o grande desafio do amor
seja evitar que a alegria se concentre em um único ponto

como a pinta nas suas costas
que poderia abrigar tudo que ainda hei de sorrir

mas dessa forma nos afastaríamos
da essência do sentimento

essa dispersão quase bêbada da euforia
que nos faz feliz no ocaso e na aurora
e em todos os instantes nos quais ingenuamente queremos morar

onde a arte não precisa ser uma fuga
onde o mel escorre indiscriminadamente
e mesmo no asfalto vislumbramos o mar