paradoxo e complemento

amarra meus pés segura minhas mãos
amordaça minha vida mas não limita minhas palavras

me prende aqui dentro fecha todas as saídas
mas me deixa viver nesse papel

passear entre essas linhas essas tintas esses sonhos
transformar amores medíocres em grandiosidades

nessa irrealidade onde pessoas pequenas
ocupam a folha inteira

e eu cresço junto mas cresço de verdade
alimentando a vontade de ser maior e melhor

aceitando a sina não imposta que escolhi
na qual a palavra precede o ato e o é ao mesmo tempo

já é tarde e o lirismo não vai mais me abandonar
irreversivelmente desistir de escrever seria desistir de tudo

2 comentários: