tudo se cala no meio de nossos corpos

deixei de escrever
quando você se tornou
meu poema
e meu silêncio

o egoísmo
da poesia silenciosa
me consumiu
até aqui

a rima envolta
na sua pele
a métrica
do seu pescoço 

nada basta
porque o amor
pelo menos ele
há que ser dito