do ofício

Vieram me perguntar se meus escritos são para você
Respondi que sim
Mas é não
Escrevo para dentro
Alívio egoísta
Esvaziamento narcisista
Compartilhamento da solidão
Escrevo para que sofram comigo a tragédia que me veste
E as vísceras, os ossos, os músculos, o coração
E a alma que não há em mim
Trata-se de um diálogo
Com o outro lado da tela
Você é apenas meu interlocutor preferido
Para quem eu me doei
Para quem eu me expus
Você é o verso que eu sempre cantei
Por isso te digo, por isso te escrevo,

por isso te amo.

5 comentários:

  1. Pena que não tem som. Eu queria reproduzir o "CA-RA-LHO" que soltei quando li.

    Simples, mas uma das coisas que mais gostei de ler nos últimos tempos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, obrigada *_*
    Você não sabe a felicidade que me causa ao dizer isso.

    ResponderExcluir
  3. Que lindo alívio! Me faça o favor de nunca parar de escrever, que eu ando muito animada acompanhando certos blogs que eu peguei pra mim, de coração, como o seu.

    ResponderExcluir
  4. Sofia LINDA! Muito obrigada, é um prazer imenso ter minhas palavras dentro do seu coração. Que elas nunca saiam daí. :*

    ResponderExcluir