avancemos pois

Meu novo amor vigia meu sono e põe a mão no meu coração. Meu novo amor não solta nosso abraço mesmo que o braço fique dormente e compreende minhas crises mesmo sem saber de onde vem, ele me esquenta do frio de um jeito tão lindo que me obriga a me declarar, baixinho, no ouvido direito. Eu guardei o meu passado na gaveta, e por mais que às vezes ele insista em se misturar de novo à bagunça do quarto, eu juro que abri e fechei a gaveta pensando no sorriso do meu novo amor. E eu não vou olhar no retrovisor porque sei que não há nada vindo lá atrás. A realidade é que eu estou de olhos fechados esperando que quem me tirou do tédio me guie a partir de agora. Meu novo amor me deu uma nova vida. E eu só posso dizer obrigada. Meu coração e o resto do meu corpo lhe serão eternamente gratos. Avancemos pois, além.

De tudo.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. " E eu não vou olhar no retrovisor porque sei que não há nada vindo lá atrás." Dessa frase ao fim do texto, fiquei arrepiada.
    Parabéns, mesmo!

    ResponderExcluir