à boemia passada

27/04/2009 - Para a orquestra jovem de Goiás.


Meu desejo por sua posse
Não precisa ser falado
È percebido num ato calado
Um abraço, um olhar

Embala minh'alma com calma
Como nas noites
Em que tocas seu violoncelo

A plateia sedenta é meu coração
Tão só e na ânsia por teus carinhos
Tua mordida em meus lábios
Quando me beijas com exatidão

Fazes do meu seio teu acalento
Permita-me sair da plateia
E ser teu maestro
Para não me ousar a cair no esquecimento

Esta noite o mundo faz silêncio
O único som é nossa melodia
Íntima e cuidadosamente composta
Pelas notas dessa fantasia

Nenhum comentário:

Postar um comentário