1987

O banho quente nas manhãs frias. Os dez minutos antes do despertador tocar. O cigarro no fim. Eu nunca quero que você acabe. Eu gosto da sua companhia e do que ela me causa. Serei feliz se os primeiros forem mesmo os últimos. E serei mais feliz ainda se você decidir ficar mais uma noite. E outra, e outras. Até o prazo acabar. Infelizmente a vida tem data de validade. Não fosse assim, eu deixaria você ir só para te fazer voltar todos os dias. Não temos tempo a perder, faz logo um pacto comigo, casa comigo, me dá seu coração. Me tira da preguiça de viver que eu te ensino a ser feliz. Eu aceito a monotonia cotidiana, mas só se for a dois. Tem gente que compartilha a solidão, eu prefiro compartilhar o amor. Mesmo que seja sinônimo de montanha-russa falta-de-ar lágrimas-sofridas. É o meu jeito, foi assim que aprendi a caminhar. Eu preciso de alguém pra me dar a mão.

2 comentários:

  1. aaah, que lindo!

    ONDA ERRADA: o título fez eu lembrar daquela música nada a ver do Hateen.

    ResponderExcluir
  2. é verdade, e eu saquei essa onda errada só depois kkk :( mas de qualquer forma, o título é em homenagem ao CD do Cazuza, "Só se for a dois" que ele lançou em 87

    ResponderExcluir