manual de libertação

                              sonhos construídos                                            sonhos furtados
  memórias vividas                                memórias inventadas
                                 tudo além                                                                       tudo aquém

tudo aquém demais do que me era de costume, do que almejava meu peito.
batia forte demais. me faltava ar, me causava dor.
e sua voz me dizia vá, vá, vá, vá (...)
PARA BEM LONGE DAQUI

é estranho cochichar sonhos baixinho e dizer sobre viagens sem destino final, inicial ou percurso. mas é bom, às vezes não ter rumo, não ter mapa, não ter casa. liberdade é a caneta na minha mão. sem medo de errar. sem apagar nada que já foi.

escrevo pelo que há de ser

Nenhum comentário:

Postar um comentário