Um dia difícil

Eu só preciso dar o primeiro passo para que você me ajude com o resto. Triscar em você para que você me faça carinho e falar "oi" para que você me chame de princesa e me conte sobre cada parte do seu dia. Mas a questão é que eu não posso mais, hoje eu quero algo além de beijos, afagos, carinhos, além de detalhes bonitos para contar história. Quero alguém pra me tirar da solidão e me fazer verdadeiramente companhia, alguém que cuja janela da alma não seja apenas uma pupila refletindo minha própria imagem, que as cortinas se abram e me mostrem alguma essência, qualquer uma. Nem que seja para sentir uma falsa impressão de aprofundamento, arrombamento, ou seja lá o que for que penetra, entra, invade e alcança o que há por dentro. Você só viu meu rosto bonito, deixou-se enganar pelos sentidos. E eu me deixei enganar por você. Um livro cuja capa lhe interessou, você colocou na estante. Num belo dia enjoou do design, do jogo de cores, da aparência já batida, e resolveu jogá-lo na gaveta. Sem saber, porém, que as palavras ali contidas valiam o preço de uma vida. Mesmo desencadernadas, mesmo sem capa nenhuma.

3 comentários:

  1. "Sem saber, porém, que as palavras ali contidas valiam o preço de uma vida."
    Acho que essas palavras nunca morrem, viu?
    Ficou lindo, como sempre!

    ResponderExcluir
  2. nossa, amei amei amei!
    Puta que pariu, caloura! Desisti de ser escritor. Efetivo imediato.

    ResponderExcluir
  3. Não tinha visto seu blog ainda, mas você escreve muito muito bem! Parabéns ;) E me conta, tá na facul então? :D

    ResponderExcluir