Imagino que daqui uns anos ele me agradeça por tê-lo feito uma pessoa melhor. Falando assim até parece que ele é ruim, mas não, eu é que sou boa demais e sempre soube disso, apesar de demonstrar o contrário me arrastando aos pés de quaisquer amores por aí. Só acho que amores nunca são em vão, então, se vai vivê-los, viva de verdade. E deixe fluir como o ar inalado que passeia suavemente pela mitocôndria de cada uma das suas células. No início dói, prova são os bebês que choram, corações que sangram, pulmões que se abrem e lágrimas que caem. E a vida nem sempre é justa, principalmente com os que amam além da conta, mas é nessas horas em que se deve exagerar na dose e agir como um soldado em batalha, disposto a arriscar tudo para impedir o declínio da própria nação, dos ideais, dos sonhos. Do amor. Não sou escrava de sonhos, eles é que me servem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário