Eu tentei. Oh sim, eu tentei mais que tudo segurar cada palavra dentro de mim. E engolir cada letra quando já estava na ponta da língua, tão pronta para ser dita. Mas não dá mais pra fingir que não tenho intimidade com elas. Chega de simular essa falta de intensidade. Os fatos pesam muito, e falar sobre eles é como colocar uma roldana nos pensamentos, aliviando a carga, dividindo o peso. Drogas lícitas ou ilícitas não causariam o mesmo efeito que experimetnto ao saciar o vício de escrever. Mesmo quando a mente sai do corpo e a consciência diminui, certas coisas continuam a me perseguir, como sombras. Preto, escuridão em meio ao vermelho do sangue que passeia, despreocupado, pelas pernas e mãos, futuros entrelaçados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário